Norte de Minas: Vibrante ato político-cultural celebra os 100 anos da Grande Revolução Socialista de Outubro

Escrito por Comitê de Apoio AND - Norte de Minas
Publicado em 13/11/2017
Categoria: Notícias

Cerca de 100 ativistas da luta pela terra entre camponeses, professores, estudantes e operários celebraram o centenário da Grande Revolução Socialista de Outubro, no último dia 09/11, na cidade de Montes Claros. O ato político-cultural convocado pela Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP) foi antecedido por cinco Escolas Populares nas áreas camponesas que durante o mês de outubro, apresentaram e debateram este extraordinário feito do proletariado russo e internacional.

 

 

No dia da celebração, o salão da FETAEMG – Federação dos Trabalhadores em Agricultura de Minas Gerais ficou repleto de propaganda revolucionária: estandartes com as fotos dos grandes mestres Marx, Engels, Lenin, Stalin, Presidente Mao Tsetung e Presidente Gonzalo; painéis com os heróis do povo brasileiro, painel sobre a GRSO, produzido pelos camponeses, banners com as fotos de Alípio de Freitas, Sula e Jader, Presidentes de Honra da LCP, da grande companheira Sandra Lima e também do inesquecível companheiro Cleomar Rodrigues e faixas com as consignas políticas da luta pela terra e contra a farsa eleitoral estampavam as paredes por todos os lados. Dois grandes banners de mais de 4 metros com as fotos de Lenin e Stalin e com uma saudação ao histórico levantamento camponês de Naxalbari (na Índia), engrandeciam ainda mais o ato. As bandeiras dos heróicos povos Palestino e Mapuche (combativo povo originário oprimido pelo velho Estado chileno) remarcavam o espírito internacionalista da celebração.

Uma banquinha, montada e enfeitada com muito esmero pelo comitê de Apoio, vendia o último número do Jornal A Nova Democracia, junto com outras publicações!

Na abertura do evento, todos de pé cantaram altivos a "Internacional Comunista". Estiveram presentes: a LCP - Liga dos Camponeses Pobres, o MFP - Movimento Feminino Popular, a Escola Popular, o MEPR - Movimento Estudantil Popular Revolucionário, a Liga Operária e o Comitê de Apoio à Luta pela terra e o Comitê de Apoio ao jornal A Nova Democracia.

A atividade foi iniciada com a brilhante exposição da FRDDP sobre o significado histórico da Revolução de Outubro para o proletariado e os povos oprimidos de todo o mundo em luta por uma nova democracia e o socialismo. A companheira, em nome da Frente Revolucionária realizou uma retrospectiva histórica sobre os principais desafios enfrentados pela primeira revolução socialista triunfante, ressaltando o seu significado como marco indelével do início da era da Revolução Proletária Mundial. Dentre as importantes questões ideológicas e políticas apresentadas em sua exposição, a companheira destacou os aportes teóricos do Grande Lênin – particularmente quanto à forja do Partido de Novo Tipo, a necessidade da violência revolucionária e do combate ao oportunismo e sobre o papel do campesinato na Revolução Democrática ininterrupta ao socialismo dirigida pelo proletariado – que fizeram a aplicação criadora do marxismo à realidade concreta da Rússia, dar um salto de qualidade na ideologia do proletariado como marxismo-leninismo. Enfatizou ainda, as importantes conquistas do regime socialista que, enfrentado, desde os primeiros dias, as agressões e provocações das principais potências imperialistas, marchou a frente em todas as esferas sociais, culturais e científicas. Ademais do inquestionável papel do Exército Vermelho, dirigido pelo camarada Stalin, na derrota da besta-fera nazi-fascista. Destacou também, o papel heróico das mulheres, lembrando as "bruchas da noite" e as partizanas guerrilheiras. Ressaltando a atualidade da Revolução Bolchevique e de seu Luminoso Caminho de Outubro, a companheira da Frente relatou sobre as Guerras Populares em curso que, guiadas pelo marxismo-leninismo-maoísmo, são o cume mais alto da Nova Grande Onda da Revolução Proletária Mundial. E reafirmou o chamado feito por partidos e organizações maoístas em todo o mundo de defender a vida e a saúde do Presidente Gonzalo - chefatura do Partido e da revolução peruana - e o seu pensamento todo poderoso. Dezenas de declarações da Frente Revolucionária foram distribuídas.

O clima era de concentração, expectativa e de grande entusiasmo por celebrarmos a continuidade da luta do povo na certeza do triunfo da causa pelo fim da opressão e exploração. Logo após a palestra e as consignas como "Viva os 100 anos da Grande Revolução Socialista de Outubro!", "Honra e Glória ao Heróico Partido Bolchevique e aos Grandes Lenin e Stalin!", o hino da URSS foi executado solenemente e ouvido atento por todos, criando grande comoção.

As atividades culturais

Um emocionante filme produzido pela FRDDP trazia imagens reais sobre os dias de outubro que abalaram e seguem abalando toda a velha ordem. Atividades artísticas, preparadas com antecedência pelos ativistas presentes, ocorreram até às dez da noite. Vários poemas como “Carta à Stalingrado” de Carlos Drummond de Andrade e “Elogio à Dialética” de Bertold Brecht e os poemas “Tão Heróico Destino” e “O caminho está definido” do Presidente Gonzalo, foram declamados. Uma companheira de origem Xakriabá, declamou o poema “Os homens da terra” de Vinicius de Morais e no encerramento surpreendeu a todos declamando de cor, um poema de despedida. Alguns companheiros recitaram outros de sua própria autoria, como o companheiro Lageado, de Cachoeirinha, que apresentou os seus versos sobre a heróica luta dos posseiros de 1967 continuada nos dias de hoje pela LCP. Companheiras do MFP do núcleo de Manga apresentaram uma belíssima coreografia da canção revolucionária "Bella Ciao". Um companheiro da Área Cleomar Rodrigues tocou e cantou músicas da autoria do dirigente camponês e herói do povo Zé Bentão, outro jovem de Manga expôs a pintura de Lenin feita por ele para a celebração. O hino do MFP, Lutadoras da Revolução, foi cantado de pé e à frente por todas as companheiras presentes. Sob uma chuva de prata, foram homenageados a fundadora do movimento feminino Sandra Lima e o grande dirigente comunista Pedro Pomar.

No encerramento do evento, todos repetiram o Juramento da LCP de seguir lutando pela destruição do latifúndio, junto às imagens do presidente de honra das Ligas de Camponeses Pobres, Alípio de Freitas, e dos Presidentes de Honra da LCP do Norte de Minas e Sul da Bahia, Jader e Sula.

Em uníssono e com fervor, cantando o hino “Conquistar a Terra”, seguida das consignas da luta pela terra e vivas à Revolução Agrária e uma estrondosa salva de palmas e fogos, a celebração dos 100 anos da Grande Revolução Socialista de Outubro foi encerrada, semeando nos corações e mentes ainda mais decisão em seguir lutando pelo triunfo da Revolução Democrática ininterrupta ao Socialismo e a serviço da Revolução Proletária Mundial!
 
   

Notícias relacionadas « » leia também:

Sem notícias relacionadas para exibir nessa página.


   
     
   
» Todo o conteúdo pode ser copiado e reproduzido desde que citada a fonte «